quarta-feira, 10 de agosto de 2011 | 13:35 | 2 Comentários

Quem está por trás dos orgulhosos héteros?

Mooooooona!!!

Tô adorando a repercussão que está tendo a notícia sobre aquela aberração de projeto que pretende oficializar em São Paulo o Dia do Orgulho Hétero. Aquela mesma, que foi aprovada pelos muito bem pagos vereadores da nossa cidade. São Paulo, que está longe de ser uma cidade bem resolvida – no que se refere sua estrutura física e política – acaba sendo reflexo para as demais cidades do país e a aprovação deste projeto e sua possível sanção, decreta o quanto estamos carentes de políticos que estejam antenados com os problemas da população e da cidade.

O que eu acho ótimo é que a mídia (nacional e internacional) está dando uma cobertura mais do que adequada ao tema. Desde a abordagem espetacular de Dani Calabreza e Bento Ribeiro (que eu adoro!!!), mostrando o quão ridículo é este projeto e que, na verdade, se aprova não o Dia do Orgulho Hétero, mas sim o Dia do Homofóbico Enrustido até a mais babadeira revista gay americana The Advocate que disse "críticos (do projeto) dizem que a Câmara não deve ser criar o Dia do Orgulho Heterossexual, mas trabalhar por questões mais urgentes, como a criminalidade, poluição e infra-estrutura. São Paulo também está atrasada na preparação para sediar Copa do Mundo em 2014 e pode perder o evento para outro local."

Outros meios também comentaram esta viadagem... Digo, o tal do Dia do Orgulho Hetero. A revista Time, xoxando completamente disse: “Com cerca de 3 milhões de participantes, a Parada Gay de São Paulo é uma das maiores do mundo. Mas talvez alguém estava se sentindo deixado de fora.” Tomou, né? Mas esse povo levanta a bola... É isso, bee... Outros, porém, como a Fox News, tratou o tema com mais seriedade e lembrou que “no Brasil morrem 260 homossexuais por ano e publicou uma frase atribuida ao criador do projeto, vereador Carlos Apolinário: "Eu não tenho problemas em conviver com gays, desde que seu comportamento seja normal." Afinal, nenhum gay nunca deu lampadada em um grupo de amigos heterossexuais ou mordeu a orelha de nenhum pai ou mãe que estivesse andando abraçado com seu filho numa feira...

A questão é que, por trás dos orgulhosos héteros, me parece que existe um discurso muito mais perigoso que o da simples rivalidade com o Dia do Orgulho Gay. Alías, não se trata de apenas um discurso, mas dois... Num tipo de “combo”, desses se compra um e leva dois, sabe?
Temos aí, nem tão camuflado assim, o discurso da homofobia e o da negação de um Estado laico de fato. Por trás dessas idéias brilhantes e “inocentes” esconde-se uma possível reação de pensamentos religiosos maquiados de qualquer coisa.

O que realmente me pergunto é: o que é ser heterossexual? E mais, qual o motivo de tanto orgulho? Será que eles e o vereador saberiam responder a tais questionamentos? Duvido muito...

O engraçado é que, numa tentativa tosca e frustrada de responder tais questionamentos é bem capaz que se chegue naquele discurso mais do que batido de “defesa da família”. Ora, meus caros, se estão realmente preocupados com a família, então vereador, trabalhe para conseguir maiores investimentos na saúde, na educação... Melhore as condições de moradias das pessoas... E depois use o seu tempo para suas divagações sem noção...

Termino questionando: vai ter Parada do Orgulho Hétero? Os gays poderão participar??? Afinal, na Parada Gay, todos são muuuuuuuuuuito bem-vindos.

Beijo, beijo, beijo... Fui...


É DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DOS COLUNISTAS A EXPRESSÃO DE IDEIAS E OPINIOES VEICULADAS NESSE SITE!

2 comentários:

Marcio disse...

a criação desse dia é um estado de incompetência... Muito bom o texto, parabéns

Felipe disse...

Muito bom o texto! É importante que discussões sobre questões de discriminação sejam sempre debatidas!