segunda-feira, 31 de outubro de 2011 | 19:59 | 4 Comentários

De mãos dadas com o amor...


Diz uma piada: “quer deixar um italiano mudo, amarre suas mãos”.

Apesar de serem os italianos a manter tal fama, a brincadeira é injusta, afinal, todos nós acabamos utilizando nossas mãos para expressar nossas idéias ou sentimentos. Mas, por algum motivo, o qual eu desconheço, os italianos acabaram levando a fama de falarem com as mãos. Eu mesma, neta de italianos, sou uma que adora se comunicar fazendo a Eliana, toda trabalhada nos dedinhos...

Desde que o ser humano (me recuso a colocar o Homem, mesmo que com letra maiúscula simbolizando a espécie humana, pois acho de um machismo descabido), enfim, desde que nós adotamos uma postura ereta, nossas mãos puderam se desenvolver de maneira tal que é através delas que fazemos praticamente tudo em nosso dia a dia. Eu mesma, agora, estou utilizando-as para colocar neste texto as idéias que estão dentro de minha cabecinha fértil... (risos).

As mãos adquiriram significado importante graças aos seus inúmeros usos (cotidianos ou não). E tamanha importância deu, também, às mãos, o status de divina, afinal, é através delas que se abençoa alguém, por exemplo. Assim sendo, todos os gestos feitos com as mãos acabam tendo um significado muito importante, ainda que implícito ou pouco percebido...

Um deles é o simples gesto de andar de mãos dadas!


É bem comum que vejamos diariamente casais andando de mãos dadas pelas ruas das cidades, pelas praças dos bairros, pelos shoppings, na beira da praia ao entardecer. Tal gesto demonstra a mesma força de um abraço carinhoso, ou muitas vezes de um beijo apaixonado. Ao dar a mão para alguém para caminhar, se está implicitamente afirmando: “venha, quero você ao meu lado”. E mais, está se dizendo, de maneira simbólica: “quero que todos saibam de que você está comigo e vice-versa”.

Nossa sociedade ocidental, no entanto, reserva este direito apenas aos casais heterossexuais. Assim, é muito comum você nem perceber um casal formado por um homem e uma mulher de mãos dadas por aí. No entanto, se for um casal de crianças (um menino e uma menina) os pais e amigos vão achar a cena fantástica e vão até falar coisas do tipo “olha lá meu futuro genro”. Outro fato admirável é ver um casal de idosos andando de mãos dadas e se pensar “que coisa mais linda uma relação de tanto tempo”. Desta forma, um simples gesto, que muitas vezes passa despercebido de nosso olhar, carrega uma quantidade enorme de significado quando o assunto é demonstrar carinho e companheirismo pela pessoa amada...

Mas espere aí... Toda esta beleza de simbolismos e significados termina quando o casal em questão é formado por pessoas do mesmo sexo. E aí, meu amor, não importa a idade, todos serão vistos e percebidos com maus olhos. Isso quando não forem vítimas de ataques verbais, preconceituosos, ou pior ainda, ataques de total intolerância como agressões físicas ou mesmo casos de homicídio.

Infelizmente, ainda hoje, casais homossexuais que quiserem expor de forma carinhosa seu afeto por seus amantes terão de enfrentar o olhar de censura de uma sociedade criada e sustentada pelos pilares da hipocrisia. Claro que, parte disto também é culpa dos homossexuais. Eu mesma já passei por situações estranhas, ou até engraçadas (depois, claro!). Uma vez, me relacionando com um dentista (ele 18 anos mais velho que eu), tive uma desagradável surpresa ao fazer um pequeno carinho em sua mão, numa praça de alimentação de um shopping. Ele ficou tão alterado que empurrou violentamente minha mão e ainda quis me dar um sermão, dizendo que ele não curtia “aquelas coisas”. Para ele, dar as mãos em público, ou simplesmente fazer “aquelas coisas” não era certo, não era adequado e ainda veio com a maior das ilusões do mundo gay quando, ele disse: “... eu sou gay, mas gosto de ser discreto”.

Bom, meu amor, no meio gay “discreto” é sinônimo de bicha enrustida e ponto. Discrição é outra coisa, completamente diferente... Mas quem sou eu para contra-argumentar com uma mente que foi moldada por uma sociedade carregada de conceitos religiosos, que demonizaram o sexo e tudo o que se relaciona com ele? Pior ainda, sendo uma sexualidade dita “fora no normal” pelos mesmos religiosos que pregam o “amor”, desde que seja um amor papai-mamãe, heterossexual, reprodutivo... Tudo como manda, ou melhor, aconselha a Santa Madre Igreja.


Eu, particularmente, gosto de andar de mãos dadas por onde quer que seja. A única coisa com a qual me preocupo, é que tipo de lugar eu estou para não ser vitima de agressões físicas. Comentários e cara feia, meu amor, eu literalmente estou defecando... Claro que se a coisa piorar, há mecanismos legais para tratar da questão.

O que acho importante, no entanto, é que os casais homossexuais saibam que estão passando pelo mesmo julgamento que os casais heterossexuais passaram nos anos 50 e 60 quando começaram a se beijar publicamente. E por isso, meus amores, força e vamos todos dar as mãos... Literalmente!!!

Beijo, beijo, beijo... Fui...


É DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DOS COLUNISTAS A EXPRESSÃO DE IDEIAS E OPINIOES VEICULADAS NESSE SITE!

4 comentários:

Conceito disse...

É verdade, concordo com vc, não existe motivo algum para esconder algo verdadeiro e puro!
Eu ando de mãos dadas com amigos, namorado, ou seja lá quem for que eu goste e ame de verdade! Não vou omitir minhas vontades.
Parabéns pelo texto.

JOHNNY disse...

Concordo mas acho muito difícil suportar toda a pressão. Esta pressão é tão subjetiva e má que chego a me perguntar se vale a pena toda esta pressão. Depois me vem a certeza que devemos obter no mínimo direitos iguais. Texto muito bem escrito e que nos faz questionar muito nosso papel. Obrigado.

BRUNO AZUL disse...

texto lúcido !!!excelente,nada como uma drag com a visão além do seu tempo,nada como olharmos pr tráz e vermos as vitorias ja conquistadas,pra que ñ desistamos das que poderão ser presente !!!é isso aí CINDY!!!!BJUXXSS

Evandro disse...

Gostei e adorei a hora que você disse Comentários feios, estou defecando, parabéns mesmo Cindy!!